Total de visualizações de página

quarta-feira, 9 de março de 2016

O MEU AMIGO GUILHERME RIBEIRO DO NASCIMENTO.


Tudo nos é tomado diante da morte. E os amigos, sobretudo, os bons amigos, estão na relação de grandes perdas. Um amigo contemporâneo; amigo de colégio; um amigo de trabalho; um amigo que sorriu que chorou que sofreu junto de nós se vai levado pela morte, é como se deixasse para nós um mundo maior e menos populoso.

Estou falando do meu amigo Guilherme Ribeiro do Nascimento, sepultado no último dia 07 de março em Candeias. Uma amizade que começou quando ele ainda adolescente, trabalhava na Farmácia São Geraldo, do Sr. Darciro Corrêa. Depois, moramos numa “república” e trabalhamos juntos durante anos em São Paulo, no Bemge, onde aposentamos como gerentes.

Vivenciar aquele momento do sepultamento desse amigo; vê-lo sendo trancado inerte naquela urna, sendo depositado num túmulo para nunca mais ser visto ou ouvido, foi para mim um grande sentimento de ausência, mas jamais um sentimento de perda.

Amizade como essa, só pode ser demolida com a morte de ambos. Portanto, meu bom e querido amigo Guilherme, onde quer que esteja sido colocado por Deus, a nossa amizade continuará viva, muito viva nas minhas lembranças, porque temos uma grande história de vida; uma história de dias, meses e anos, quando dividimos alegrias e tristezas; história que só terá o seu fim quando nós estivermos no mesmo plano novamente.

Onde quer que esteja meu bom amigo, receba o meu abraço.

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos.


Nenhum comentário: