Total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de março de 2017

ÉRAMOS VINTE E CINCO...


 No dia 08 de dezembro de 1958, em Candeias MG, nós, alunos da quarta série primária do Grupo Escolar Padre Américo, participamos de uma grande festa no Cine Circulo Operário São José, às 20 horas, quando se deu a entrega do certificado de conclusão do curso primário.

Naquele dia, a turma abaixo mencionada se separava após uma longa temporada se encontrando e convivendo todos os dias.

Foi uma festa para ninguém botar defeito. Presentes os corpos docente e discente, o Prefeito Municipal, Dr. José Pinto de Resende, um deputado que nos paraninfou; autoridades e personalidades do município. Como autoridade eclesiástica estava presente o Monsenhor Castro com o seu discurso maravilhoso sempre na ponta da língua.

Você, meu amigo, se deparando com a relação de formandos abaixo mencionada e porventura tenha algum dos relacionados que lhe disser respeito, ou seja, parente, amigo ou conhecido, eu ficaria imensamente agradecido se me fosse enviada notícias desses amigos de infância e condiscípulos.

No ano que vem esse evento completará sessenta anos e há muitos colegas dessa turma que os vi pela ultima vez naquela noite, desde então não tive mais notícias.  No entanto, são imagens vivas que moram dentro de mim, inclusive daqueles já falecidos.

QUARTA SÉRIE, ANO 1958 NO GRUPO ESCOLAR PADRE AMÉRICO EM CANDEIAS MG.

Professora: Maria do Carmo Bonaccorsi.
Diretora:     Maria do Carmo Alvarenga.

Antônia Aparecida Vilela
Antônio Ítalo Freire
Armando Melo de Castro *
Clarice Alvarenga
Hélio Melo da Silva
Jadir Melo da Silva
Jesus Alves Resende
João Faria
José Gonçalves
Márcio Miguel Teixeira
Marlene Aparecida Martins
Marli dos Reis Alves .............................(Falecido)
Nelli Manda Ramos Melo
Neri Ferreira Barbosa
Odete Lopes da Trindade
Raimundo Ferreira de Oliveira
René Ferreira de Oliveira
Sebastiana dos Santos
Sebastião Alves Resende ...................(Falecido)
Silvio José Rodrigues ........................(Falecido)
Silvio Lopes da Silva .........................(Falecido)
Teresinha Luiza Alves
Teresinha Mori ...............................(Falecida)
Zélia Alves Alvarenga...............     (Falecida)
Zilene Vilela Alvarenga

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos.

terça-feira, 21 de março de 2017

OH! QUE SAUDADES QUE TENHO!


 Hoje eu quero falar de lembranças que vivem bem guardadas nos cofres da minha memória. E diante dessa saudade, relembro a velha estação ferroviária de Candeias, há muitos anos, quando eu ainda era criança... Tempo em que Candeias representava todo o meu mundo e minha imaginação me conservava ali, pensando que seria como uma fruta que cai de madura sobre as sombras e raízes do seu pé. Todavia, o destino mudou a minha rota, mas eu guardo comigo as lembranças para hoje eu possa sentir uma saudade feliz. – Saudade! Um sentimento ainda estranho para mim quando ainda criança...

Vejo-me, portanto, entrando pela primeira vez na estação ferroviária de Candeias O meu coração batendo forte, de tal forma, que se não fosse eu um menino, talvez, esse teria saído pela boca...

A estação de Candeias era bastante movimentada. Quase nada entrava na cidade ou saia a não ser via trem de ferro. O meio de transporte rodoviário era então, muito atrasado. Os ônibus se limitavam em pequenas jardineiras e era um transporte caro. E os caminhões em número reduzido. Comumente ouvia-se dizer que viajar de trem é melhor, mais confortável e mais barato.

Aquela aglomeração me assustava! Pessoas falando alto... Outros contando histórias... E alguém dizendo: o trem está atrasado... E eu desesperado perguntando ao meu pai: Pai por que o trem está atrasado? --- Meu pai respondendo que aquilo era normal...

Começa a fermentar no meu cérebro todas as historias de trens que eu já teria ouvido Enquanto meu pai conversava com um amigo a minha imaginação estava a todo vapor. Ouvira dizer que dentro dos trens havia restaurante com cozinha e tudo; camas para dormir e até uma privada... Ouvira dizer, também, que o combustível da máquina era água e fogo... E essa se locomovia com vapor. Aquelas ideias me deixavam atordoado... Pelo fato de morar do outro lado da cidade, eu nunca teria visto um trem de perto. Estava acostumado a ouvir o apito muito familiar das marias-fumaça que trafegavam dia e noite levando e buscando gente e mercadorias...

Meu cérebro continuava fermentando: Daí a pouco eu iria conhecer esse trem... Ia ver uma cozinha fora de casa... Um restaurante... Um quarto de dormir... Uma privada... E como seria essa privada dentro do trem!? Quanto mais o trem demorava, mais o meu cérebro fermentava. Nesse tempo eu nunca havia visto uma privada dentro de casa... Na minha casa não existia.

Finalmente chega aquele monstro negro jogando fumaça e vapor por todos os lados Os passageiros se agitam... Entram, falam, despedem-se. Ouve-se o soar de um sino. Trata-se do sinal para a partida do trem. Eu não ouvira ainda, um sino bater fora da igreja... Acho aquilo interessante... Ouve-se um apito. Aquele apito familiar da maria-fumaça já conhecido à distância, agora ali perto de mim.

O trem vai saindo vagarosamente me levando cheio de uma felicidade indescritível... Vejo pessoas estranhas; vou olhando para todos os lados; procuro com os olhos cheios de curiosidade a cozinha... ------- E as camas? Onde estariam as camas? E a privada? Onde seria essa privada!?

Perguntei ao meu pai: Onde estão as coisas que o senhor me falou? E meu pai sorrindo responde: Aqui só tem a privada. As outras coisas só no trem da noite e que se chama noturno. Este trem é do dia e é chamado de misto. Com essa resposta a minha felicidade tomou um empurro... Mas não me abati. A curiosidade, agora, se concentrava no desejo de conhecer a tal privada... Desejei, para isso, a vontade de fazer xixi. Poder fazer xixi!... Cocô dentro do trem?! Como seria isso?!

De repente alguém próximo disse para a sua companheira: vou até à latrina. E eu no auge da minha curiosidade pergunto ao pai: o que é latrina? Fico sabendo tratar-se da privada. Sinto inveja daquele rapaz que se dirige até a uma portinha num canto do vagão e entra. A minha curiosidade foi tanta que meu pai se propôs levar-me a conhecer aquele gabinete.

Nesse dia eu fui conhecer a cidade de Formiga, numa visita que meu pai fez a um compadre seu. E eu torcendo para que a viagem de volta pudesse vir a ser de noite... Mas não foi. Portanto, não foi naquela vez que pude ver algo além da privada. Acredito ter sido um dos dias mais felizes de minha vida... Pois não bastaram as emoções de conhecer o trem, viria, também, a emoção de conhecer uma cidade grande, bem maior do que Candeias.

Parece que o povo daquele tempo não tinha muita pressa para chegar ao destino... Era um povo mais calmo e não se irritava com os atrasos constantes dos trens. Não criticavam com veemência, as deficiências da ferrovia... E as viagens, mesmo de negócios, eram transformadas em passeios... ---- Estarei certo ou fortuitamente enganado? Ou quem sabe a ingenuidade de criança ainda perdura em mim?
A chegada do trem de passageiros na estação dava um clima de festa A estação era ponto turístico onde até casais de namorados iam ver o trem chegar e sair. Os carroceiros apostos, entre eles, Juca Cordeiro, Arlindo Barrilinho, Serafim e outros, se movimentavam para pegar as mercadorias que chegavam. Os carregadores de malas abordavam os passageiros e principalmente os caixeiros-viajantes, cujas gorjetas eram polpudas. Logo após, a Rua Coronel Marques, ou melhor, a Rua da Estação, aliás, a primeira Rua de Candeias a receber calçamento; parecia uma maratona... Pessoas que desciam e depois subiam para ganhar o centro da cidade.

Subindo o morro ia o Joaquim Estafeta com aquele baita saco cheio de cartas sendo levado para a agencia do correio.

Posteriormente as marias-fumaça foram substituídas pelas grandes locomotivas movidas a óleo diesel; e os comboios agora maiores ficaram restritos em seus horários. Pois apenas uma locomotiva levava a carga de três marias-fumaça...

Há um tempo passado, eu estive na estação desativada de Candeias remoendo esses quadros de minha infância. ---- Vendo aquele local deserto, sem uma pessoa, ali, naquele momento, senti uma saudade danada daquele dia em que fiz a minha primeira viagem de trem e estive tão feliz naquela plataforma cheia de gente e agora completamente vazia.

Seria inútil tentar arrancar de mim essas lembranças doloridas. Elas entraram pelo cérebro, desceram ao meu coração e lá se acomodaram pelo resto de minha vida.

Armando Melo de Castro
Candeias MG casos e acasos.


terça-feira, 14 de março de 2017

MOTOCICLETA , O RETRATO DA MORTE!

                                                                      FOTO PARA ILUSTRAÇÃO DO TEXTO.

As pessoas idosas morrem de medo da morte, como se a morte fosse um castigo. A morte não é castigo, pelo contrário: a morte, a meu ver, é a absolvição do ser humano.

Grande parte das pessoas, senão a maioria se esquece de que a velhice é que talvez possa  ser o castigo. Mas castigo de quem? De Deus?! Não! Deus não castiga ninguém. Deus dá a todos nós o livre arbítrio para que sejamos responsáveis pelos nossos próprios atos.

Viver muito não é lá essas coisas. Quantas pessoas sofrem no fim da vida, cujo sofrimento pode vir a ser comentado como que pagamento dos seus pecados.

O jovem, contudo, não é tão temeroso porque imagina a morte apenas na velhice. Mero engano. A morte não escolhe hora e nem dia. É como dizem: para morrer basta estar vivo.

A infância e a juventude é a festa deste mundo, a velhice, no entanto, é o fim, é a volta diante de uma pergunta: --- De onde vim e para onde vou?

Semana passada, pela manhã, quando eu caminhava numa Avenida de Juiz de Fora, fazendo uma caminhada, buscando uma agilidade nos meus passos, que se emperram a custa do tempo que me envolve, vi, quando passou entre os carros, uma motocicleta dessas possantes, fazendo um barulho terrível e um zig-zag suicida.

Para mim aquilo seria o espelho da morte e nem quando vi pela primeira vez, num espetáculo de circo, a atração do globo da morte eu pude me sentir tão tenso, tão assustado quase descontrolado diante de comportamento tão aberrante. ----- Diante disso, a sentença vinda sob a jurisdição do tribunal da minha consciência, seria de que aquele motociclista não teria vida longa, pois, estaria a cada segundo colocando-a sobre os riscos da morte.

Segui o meu caminho. E não muito distante dali pude observar uma grande aglomeração de pessoas. Terá sido um acidente? Perguntei a mim mesmo! ---- Aproximei-me e pude ver ali, caído e o seu sangue escorrendo pelo chão um jovem que não se mexia. Era a moto que passara por mim lá atrás.  ----- Um policial se comunicava através do celular, o povo estarrecido rodeava... A moto teria batido violentamente numa caminhonete. Os comentários da boca do povo eram os mais diversos.

Não suportei ficar parado ali. Segui o meu caminho, chocado e pensativo, inebriado e voltado, agora, numa abstração que me levava a sugerir que a estrada da vida, que às vezes pode nos parecer transportar-nos rumo à verdadeira felicidade, pode terminar abruptamente num precipício inesperado.

Nesse momento o meu pensamento me levou a Candeias para me encontrar com um fato que teria ocorrido na década de 50 quando eu acompanhava o meu pai numa visita a um grande amigo.

O jovem candeense Cristovão Teixeira, conhecido por Cristovão do Vico, teria se acidentado numa motocicleta e recebia a visita de vários amigos na casa de seu pai Vico Teixeira.  ---- Eu ainda menino lembro-me de ouvir um dos visitantes, o Sr. Mozart Sidney dizer ao Cristovão: Você é famoso pelas suas peripécias. De hoje em diante lembre-se de uma coisa: “A saúde não tolera desaforos”.

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos.

quinta-feira, 2 de março de 2017

QUEM SOU EU????!!!!

----No dia 11 de fevereiro próximo passado, eu recebi um pedido de amizade através do facebook de uma pessoa que se denominava MÔNICA MARIA.

----Tratando-se de um nome totalmente desconhecido para mim e uma fotografia de uma mulher, tirada à sombra sem a mínima possibilidade de ser identificada além de apenas 15 amigos em comum comigo, resolvi aceitar a pessoa como amiga para posterior verificação.

----E sem muita surpresa, pelo seu estilo, pude reconhecer pela terceira vez, uma pessoa de Candeias, conhecida por todos os Candeenses; que gosta de fazer um perfil faker, porque não tem coragem de falar abertamente; joga no time dos covardes e caluniadores, como já fez uma vez subscritando um boletim como (INDIGANADO). Pessoa pobre de espírito, pobre de cultura, pobre de moral, enfim uma pobre criatura. ----Tão logo eu aceitei a intrusa como amiga vejamos o seu comportamento o que já era de se esperar:

11 de fevereiro 2017
Armando Melo de Castro ----- Seja bem vinda Mônica, grande abraço...

19 de fevereiro 2017 06:52
 Mônica Maria --- Bom Sr.Armando mto bom te lo como amigo Acompanho suas publicaçõesPrecisa de alguém assim aqui na minha cidade.Mas que isso achei que esse Prefeito ia ser bom que horror heim bando de incopetente cidade ta um caos estão dando conta nem de fazer as licitações nao tem carnaval ruas uma sujeira acreditei nele mas onde tem dedo do Pangare sai nada não. Sou eleitora dele pq ainda voto em Candeias prometeu.mta coisa achando q ia fazer milagresNesse mandato sua página vai encher kkk  -----  Ele pior que o.pai. E a Camara até hoje em ? ---- No Camacho já estão a todo vapor
Obrigada por me aceitar Bom Domingo.

Achei estranho e, alguns dias depois, ela fez o seguinte comentário sobre uma postagem minha que não tinha nada a ver com assunto político:

28 fevereiro 2017
Mônica Maria ----- Senhor Armando Melo de Castro passando por Candeias e também acompanhando seu blog percebi que desistiu de lutar !Lamentável ! Ou todos os problemas acabaram ou ficou sem palavras afinal quem manda é a voz do povo!
Descurtir • Responder • 1

TER 12:55
Prezada Mônica Maria, terei o máximo prazer em responder as suas perguntas. Contudo, gostaria de saber um pouco mais sobre você, sua cidade, sua familia, e o que liga você a Candeias. Tenho apenas 15 amigos em comum com você e me parece não terem-na como conhecida. No cadastro no Facebook a senhora não tem nenhum tipo de informação, diz que é estudante de veterinária, mas não informa mais nada, Nem de família, nem onde estuda, nenhuma informação básica, nenhum local de trabalho. Apenas tem um telefone, inclusive DDD 035. Portanto, fale-me um pouco mais de você para que eu possa entender melhor a resposta sobre a sua pergunta. Grande abraço.

TER 15.44
Mônica Maria ----Boa Tarde ! Moro em Timóteo faz tempo mas tenho laços com Candeias pois fui criada ai na região zona rural entre Itapecerica e Candeias convivi mto com os Lamounier e sei das paginas negras que poucos sabem mas isso não vem ao caso admiro seus conhecimentos e torço pelo melhor dessa terra onde pode passar maior parte da minha adolescência. Mas enfim boa sorte pro senhor espero que seu trabalho contribua para clarear um pouco a mente desses políticos de Candeias e dessa Camara que é uma vergonha.Grande abraço

TER 19:00
Armando Melo de Castro ---Olá Dona Mônica Maria, ou Maria Mônica, acho que tanto faz.... Interessante! entendo que a senhora seria a ultima mulher do mundo a admirar as minhas criticas politicas, isso porque tudo sobre a senhora me leva a entender tratar-se de uma pessoa que tenta ocultar uma verdade difícil de ser escondida:
---Primeiro, a senhora diz que reside em Timóteo; naturalmente criou-se lhe no imaginário uma cidade com o nome bíblico, buscando alívio nos seus pecados principalmente quando se intitulou no masculino como INDIGANADO, e caluniou-me, inclusive mexeu até com o nome de minha falecida filha, num boletim podre que poderia talvez retratar a sua própria personalidade, mas para tudo Deus reserva um momento para os justos.
 ---A senhora deve realmente conhecer os problemas políticos de Candeias, eu acredito nisso, mas nada fez para ajudar quando pôde. Como ousa a senhora dizer que reside na cidade de Timóteo se a localização do seu portal da internet é Candeias??????!!!!!!  
---A senhora tem um dos maiores defeitos que pode atingir um ser humano: A SENHORA É MENTIROSA, VERGONHOSAMENTE. Eu conheço a mentira é pelo rastro do mentiroso. As pessoas ao responder-me as mesmas perguntas, as quais eu lhe fiz, dizem o nome dos pais, de parentes e irmãos. A senhora, lamentavelmente não tem muito cuidado quando se propõe a mentir. 
---Parece-me que tenta incitar-me a fazer o mesmo que eu fiz criticando o prefeito anterior, Mas não vou me preocupar com isso, porque mais incompetente, mais mentiroso, mais demagogo, do que foi o prefeito anterior jamais Candeias terá de novo. O ex prefeito, aquele o qual critiquei foi, sem dúvida o pior prefeito da história de Candeias. Explorou o povo candeense com um salário incompatível com o municipio e com a sua incompetência.
---Não tenho o que falar do prefeito atual, primeiro porque ele teve 73% dos votos dos candeenses, segundo porque nem Jesus Cristo, como prefeito de Candeias, daria conta em apenas dois meses, de consertar o buraco que o prefeito anterior lhe deixou como herança. -----Nós candeenses lúcidos precisamos é apoia-lo para que ele como um jovem prefeito, tenha forças para tirar o nosso município do buraco. -
---Quanto a Câmara Municipal que a senhora vem a ironizar, saiba que seria a  ultima pessoa do mundo que teria o direito de critica-la. E a senhora sabe muito bem porque digo isso.... A senhora sabe e finge que não sabe...
------Quanto ao Sr. Pangaré, trata-se de meu amigo, e descendente de família histórica de Candeias e que jamais mereceria alguma critica de pessoa anônima e vulgar, sem tradição e sem histórico político como a senhora. 
----Por tudo isso, Dona Mônica, dar-lhe-ei aqui um conselho: procure entrosar-se com gente do seu nível intelectual (os indignados que escrevem boletins anônimos, caluniando pessoas inocentes), a senhora vai se dar melhor junto do seu meio. A senhora merece o seu meio, afinal é uma indignada.

Suponho que não se faz gostar nem do seu nome verdadeiro. Afinal ele é horroroso pois, tem um sufixo de coisa AZEDA, que  DEGREDA.
 Portanto, sugiro-lhe também, que peça ao seu Santo Timóteo que lhe CONCEDA  uma graça que a faça sumir de Candeias. Vê se vá gastar a sua SEDA explorada em Candeias lá em Timóteo. ARREDA  do nosso meio. Deixe de ficar arrumando nome que lhe SUCEDA

QUA 20:11
Mônica Maria -----Confesso que não entendi nada das suas colocações ,sou prima do atual prefeito e estou mto bem na minha cidade e acho ele um doce de pessoa em momento algum, me preocupei em criar problemas pra ele até pq estou bem empregada em Timóteo e faz tempo que moro aqui vou a Candeias somente feriados duas vezes no ano no máximo. Se um dia vier a minha cidade terei mto prazer em apresentar nossa cidade.Abc

Armando Melo de Castro ----- Não entendeu nada?! Pobre coitada! Já que você quer continuar me enrolando diga-me o nome dos seus pais? Em que comunidade morou entre Candeias e Itapecerica? Cite pelo menos o nome de uma familia sua amiga em Candeias.?

QUART 01 MARÇO 2017
Mônica Maria ----Sr. ARMANDO não se preocupe não quero te causar problemas só fiz um elogio às suas publicações mas não quero entrar em briga política ainda mais que nem moro mais aí. Minha familia é de Resende e meus pais já faleceram mas nao te incomodorei mais.

20:12
Armando Melo de Castro ---Ora, ora, Dona Mônica Maria, não se preocupe, a senhora nunca me preocupou e jamais me preocupara. Eu estou acostumado a reconhecer os Fakers é pelas suas contradições e as pessoas mentirosas pelo rastro da mentira. Como eu já lhe disse, procure a sua turma dos indignados, pessoas do seu nível cultural, por mim a senhora não existe.

20:17
 Mônica Maria ----Já que acha que sou ninguém pq se incomodou?

20:20
É que eu gosto de brincar de gato e rato Dona Mônica. Mas quem lhe disse que eu me incomodei?, Eu disse que a senhora nunca me preocupou e jamais me preocupará. Leia direito professorinha Dona Mônica Maria azeda

Fim da conversa no bate-papo

(Tive o cuidado de fazer o print de toda a conversa.)

Armando Melo de Castro


Candeias MG Casos e Acasos.