Total de visualizações de página

quarta-feira, 15 de abril de 2015

WILLIAM VIGLIONI, UMA HISTÓRIA INCOMUM!


                                          William Viglioni e sua família.

É com contida satisfação que o nosso Blog, Candeias MG Casos e Acasos, estará prestando uma justa homenagem a um dos mais ilustres candeenses ao completar, nesta data, 15 de abril de 2015, 91 anos de idade: WILLIAM VIGLIONI. Trata-se de um patrimônio vivo da história política e social do município de Candeias e que muito honra os anais da nossa história.

Nascido no dia 15 de abril de 1924, em Candeias, no casarão de sua família que situava onde hoje está edificado o prédio do Banco do Brasil S.A. --- Filho de Torquato Viglioni e Maria Marques Viglioni.

Em 15 de junho de 1938 foi estudar em Barbacena, na Escola Agrícola, onde se formou em 1944, como técnico agrícola. Em 1945, seguiu para Belo Horizonte onde trabalhou na corretagem da Rádio Inconfidência e Guarani, e nos jornais: O Estado de Minas e Diário da Tarde. Foi ainda, funcionário lotado no gabinete geral do Estado, Pimenta da Veiga (pai). Em 1953 regressou à Candeias, passando a administrar a fazenda de seu pai, que estava com a idade avançada. Em 1954 casou-se com Maria Lúcia Viglioni, de cuja união teve quatro filhos: Marília Cristina, Ana Maria, Júlio Cezar e Torquato José.

Candeense na essência da palavra por ter a sua existência voltada para os interesses do município, da família e dos amigos. Teve grandes oportunidades de fazer a vida fora de Candeias com muito mais progresso; no entanto, preferiu ficar na sua terra lutando pelos seus ideais herdados da sua descendência de melhores gemas de linhagens candeenses. Sua origem familiar vem desde os tempos de Domingos Tendais. Neto do Coronel Marques além de sobrinho e discípulo do maior líder politico candeense, o Dr. Zoroastro Marques da Silva.

Seus interesses pela vida politica e social do município de Candeias honra os anais da nossa história; não só pela sua origem familiar, mas principalmente pelo seu comportamento; pelo seu feito como cidadão candeense, cujos direitos e deveres sempre andaram juntos de si.

Obteve conquistas marcantes na área social e para o desenvolvimento da cidade, entre elas a fundação do Sindicado dos Trabalhadores Rurais de Candeias. Uma participação ativa junto ao ex-prefeito Francisco Coelho dos Santos na construção do Hospital Carlos Chagas. Teve grande atuação junto ao seu tio Dr. Zoroastro Marques, na instalação da Comarca de Candeias, quando foi concursado e nomeado 2º Tabelião. Presidente do Clube Atlético Candeense, num tempo em que nossa cidade teve um futebol acirrado e disputava o campeonato regional, tendo sido o Clube Atlético Candeense, campeão de 1958 num dos maiores eventos esportivos da história do futebol do município. William sempre se utilizou de sua cidadania consciente no auxilio aos menos favorecidos e foi durante 17 anos, responsável pelo Juizado de Menores do Município. Em 1972 a comarca foi extinta, e após este feito, iniciou-se o movimento para que voltasse novamente, sendo um dos baluartes nesta luta, e obtendo êxito a partir de 1990.

William Viglioni foi um dos vereadores mais atuantes, mais ativos e dos mais representativos da história do município. Eleito por dois mandatos, 1954 a 1958 e 1962 a 1966. Contudo, no último teve o seu diploma caçado covardemente, pela Ditadura Militar. Acusado de comunista, subversivo e um dos líderes do GRUPO DOS ONZE, injustamente, talvez pelo seu interesse comunitário; foi com isso considerado uma ameaça à ordem da ditadura. Foi preso tendo sido levado para a prisão em Campo Belo e posteriormente transferido para a Penitenciária Magalhães Pinto, onde ficou encarcerado durante três meses. Nesse tempo esteve dividindo os porões daquele presídio com figuras de altíssima relevância na politica nacional. Em 24 de maio de 1966, foi julgado pela 4ª Auditoria da junta militar de Juiz de Fora, levando-o, assim, à sua absolvição. Foi William um dos pouquíssimos brasileiros a ganhar posição de anistiado politico no Estado de Minas Gerais e no Governo Federal, sendo que este último efetuou a Declaração de Anistiado Político, oficializando em nome do Estado Brasileiro, o pedido de desculpas ao Sr. William Viglioni, além de efetuar pagamento pecuniário para ressarci-lo dos danos morais. Na época de sua prisão teve sua família dividida, cada filho com um parente em uma cidade diferente. Sua vida familiar passou por turbulências inacreditáveis, mas tudo foi superado. Ele voltou a assumir o seu cartório e a sua cidadania após ter sido julgado inocente. Seu processo se encontra arquivado na Biblioteca do Ministério da Justiça.

Mais recentemente foi agraciado com a medalha de “Desembargador Hélio Costa”, numa cerimônia que aconteceu no salão do Fórum de Candeias, presidida pelo senhor Juiz de Direito, na presença de muitos convidados. A Medalha Desembargador Hélio Costa é uma das maiores honrarias do Poder Judiciário mineiro, porque faz condecorar em todo o Estado de Minas Gerais, as personalidades cujo trabalho fazem a diferença e são relevantes no cenário politico e social do município. A medalha deve o seu nome ao Desembargador Hélio Costa, um dos desembargadores que mais se destacaram na presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Dessa forma, William Viglioni novamente representado pela justiça nos leva a observar a sagrada bandeira de Minas: JUSTIÇA AINDA QUE TARDIA!

O NOME DE William Viglioni é sinônimo de trabalho e honestidade. Foi sempre um homem que nunca recebeu salários como vereador e o seu trabalho foi sempre voltado em prol do nosso município; foi sempre por amor a terra que lhe viu nascer.

O legado que o Sr. William Viglioni deixa para a história política de Candeias é o da política com dignidade, honestidade e sem interesses pessoais. Uma política exercida em benefício do povo, dedicada a servir à população em sua defesa e por seus interesses. Uma referência de homem público inteligente, polido com educação destacada pela ética e pelo compromisso com o povo que o elege.

Parabéns meu amigo Willian Viglioni, e que esta data se repita por muitos e muitos anos e que a sua voz continue expressando a sua sabedoria e experiência que foram conquistadas com luta e sacrifício. Grande abraço e que Deus lhe abençoe.

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos.








segunda-feira, 13 de abril de 2015

ANTONIO MACÊDO, UM GRANDE CANDEENSE.





Hoje, 14 de abril de 2015, eu quero abraçar o meu amigo Antônio Macêdo. É seu aniversário e eu quero compartilhar da sua alegria e da sua festa. Isso porque ele não é um amigo qualquer, é especial daqueles que a gente conta nos dedos. Sabe ser amigo e conhece a essência da amizade. Quem o conhece, entende que o termo amigo lhe encaixa muito bem.

Um homem sensível, dedicado à família e muito querido e respeitado por aqueles que lhe dedicam amizade. Apesar do seu poder aquisitivo conquistado intensamente com o trabalho honesto e sem medida de esforços, Antônio Macêdo sempre foi um homem humilde. Um candeense dos mais fieis à terra que lhe viu nascer.

Apesar de ser domiciliado na capital de São Paulo, nunca deixou de ter a sua morada em Candeias onde está sempre presente nas suas visitas e ao trabalho. Isso porque ele nunca deixou de ser um empreendedor candeense. Entre os seus empreendimentos Já estabeleceu uma empresa de cal hidratada, transportes rodoviários, proprietário de diversos imóveis urbanos, fazendeiro inovador e um dos idealizadores do Clube Cinquentenário de Candeias.

Filho do Sr. Leônidas Macêdo e de Dona Julita, a quem deu o nome ao seu prédio junto ao Cine Circulo Operário São José.  Neto do destacado Coronel João Afonso, um nome que honra os anais da história candeense. Sobrinho de outro grande candeense o ex-prefeito Nestor Lamounier.
Nesta data do seu aniversário meu bom amigo Antônio Macêdo, permita-me participar da sua festa enviando-lhe um caloroso abraço de quem o respeita e o admira muito. Que Deus o proteja e o faça sempre feliz junto a todos os seus familiares.

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos.


quinta-feira, 9 de abril de 2015

CANDEIAS E OS PROFESSORES MUNICIPAIS.


Na próxima segunda feira 13 de abril, os professores municipais de Candeias farão uma manifestação de frente à Prefeitura, das 10 às 14 horas. E uma paralisação das atividades estará prevista para o dia seguinte, ou seja, dia 14, terça feira. Esta paralisação será por tempo indeterminado.

O motivo é uma reivindicação justa do magistério municipal no sentido de regularizar uma situação conflitante que registra um desencontro do estatuto do magistério, e que fere frontalmente o princípio da isonomia salarial. Professores com o mesmo tempo de serviço e a mesma função recebendo salários diferenciados. E diante dessa questão observa-se o total desinteresse do Prefeito do Município que apesar de ser, também, um professor, tem se demonstrado alheio ao diálogo e ao entendimento, comportamento injustificável de um mandatário diante de uma situação dessas.

Parece que o principio de ação do executivo candeense, diante desse movimento onde se busca justiça e direitos, não tem sido louvável, tanto quanto muita coisa na sua maneira de governar.  A administração do município vem recebendo severas criticas da população. Segundo o que se ouve pelas ruas o prefeito disse não se importar com essa greve e que vai contratar pessoas para substituir as professoras em greve. E ainda pressionando os docentes dizendo que poderá colocar as ajudantes de serviços gerais regendo salas de aula. Isso dá uma demonstração de total falta de um diálogo convincente por parte do mandatário candeense. Eu não acredito que ele seja capaz de cometer um disparate desses. Seria, sem dúvida, uma mostra em tela panorâmica, da sua real incompetência. Eu não quero acreditar que ele fará isso. Contudo, acredito na máxima de que a voz do povo é a voz de Deus. Portanto, se isso vier a acontecer podemos dizer que a nossa cidade estará no fundo do poço, em termos políticos e administrativos.

Essa maneira de agir que se observa por parte de pessoas aliadas ao prefeito, espalhando esse tipo de boato na população, nada mais é do que uma pressão imoral. A história política nos diz que esse comportamento esdrúxulo acontece em meio aos prefeitos analfabetos, ignorantes, inseguros, inoperantes, incompetentes, sem nenhuma representatividade e nem o mínimo de conhecimento sobre as causas políticas. Elementos totalmente inábeis e despreparados diante da insatisfação de uma camada da população da cidade que eles representam. Esses prefeitos existem sim, mas são aqueles eleitos pelo voto de cabresto, à custa de dinheiro; aqueles que chegam ao poder através da pressão, como era no passado no tempo dos coronéis.

 Acredito, portanto, não ser o caso do prefeito de Candeias. Sendo ele também um professor, com certeza é um conhecedor da justeza da causa dos mestres que orquestram o saber, a cultura e a educação sobre a regência da sua batuta. O nosso prefeito foi eleito sem comprar votos, propondo o trabalho, a honestidade, a justiça perante o altar de Deus e de seus santos --- ou o poder lhe terá feito esquecido disso? Ele conhece todos os níveis, todas as injustiças, todos os merecimentos dos seus colegas de magistratura. Sabe ele, com certeza, que se trata de um seguimento injustiçado, hostilizado, desrespeitado em seus méritos até mesmo por alunos!... Esse tratamento dado aos professores do município não estaria lhe ferindo a própria carne?!

Acho que o senhor prefeito de Candeias precisa entender que essa falta de um diálogo convincente; essa greve, esses boatos na boca do povo; a insatisfação dos pais, a omissão pelo medo de manifestar o sentimento por parte dos professores oprimidos no seu silêncio; consequentemente está causando um tremendo mal estar em todo o magistério municipal da nossa cidade. Tudo isso é muito feio, é muito triste e os alunos de Candeias não merecem isso. 

Com certeza muitas das pessoas que deram o voto de eleitor para o atual prefeito de Candeias, o fez acoplado a um voto de confiança pelos seus conhecimentos pedagógicos e não só para o candidato, mas sim para o professor que iria assumir o cargo. Eu conheço bem a história de Candeias, e jamais foi visto um prefeito candeense tratar os educadores dessa forma. Se realmente não houver uma solução amistosa para essa situação... É lamentável! E bota lamento nisso!

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos


quarta-feira, 11 de março de 2015

EMAGREÇA CHEIRANDO ESTA FRUTA!

                                                                                 Noni

EMAGREÇA CHEIRANDO ESTA FRUTA!

Sempre no nosso meio não é difícil encontrar pessoas interessadas em emagrecer comendo, tomando remédio, bebendo cerveja ou dormindo. É difícil emagrecer assim, mas as pessoas estão sempre tentando. Emagrecer consiste em mexer com o corpo, diminuir a alimentação através de uma dieta balanceada.  Eu e a minha mulher não queremos ser gordões, mas também, não somos tão diferentes na forma ociosa de fazer dieta. Portanto, como tantos, quando ficamos sabendo de algo que emagrece vamos atrás e queremos conhecer.

Na padaria onde somos fregueses, aqui em Juiz de Fora, tem uma funcionária, a Isabel, uma jovem de estatura média, bem afeiçoada, educada e gorda, bem gorda. A balconista de obesidade mórbida, do corpo todo moldado em toucinho, já estava andando de pernas abertas causando na gente um sentimento de pena, mesmo porque, trata-se uma moça muito bonita e tão descuidada com o seu corpo. Mas, de repente, notamos que essa moça começou a emagrecer. E é natural o comentário: “Você está fazendo dieta?” Você emagreceu! Se o gordo ou a gorda esteve doente, o especula se sai mal. Mas se realmente o gordo que emagreceu esteve fazendo dieta de emagrecimento, naturalmente, ficará todo sorridente e agradável. Dá aquele sorriso de alegria e gosta de passar para frente o que lhe está dando o motivo daquele sorriso.

Izabel mais de que depressa deu-nos o nome de uma fruta chamada Noni como a formula milagrosa de emagrecer. Ensinou para a Carmelita como tomar o suco da fruta, onde compra-la, o preço, enfim falou da fruta como se ela tivesse caído não de uma árvore, mas sim, dos céus.  E Carmelita que não é diferente de ninguém, correu atrás e comprou um quilo dessa fruta, que custou $ 10,00. Chegou feliz da vida, como quem tivesse descoberto a fórmula milagrosa de emagrecimento. Imaginando, talvez: agora os quilinhos de sobra, vão para o espaço. Colocou as frutas milagrosas sobre a mesa e logo saímos para fazer compras, quando ficamos fora por umas duas horas.

Quando voltamos sentimos aquele mau cheiro horrível na casa toda. Como diria um amigo meu: “Meu Deus que merda é essa?!”. E ai começamos a vasculhar a casa toda. Procura daqui, procura dali e nada de descobrir onde estava aquele cheiro que uns diz odor, mau cheiro, fétido, desagradável; mas outros já diriam fedorento, cheiro de merda e naturalmente muitos diriam “catingão”. A primeira suspeita foi sobre a nossa cachorrinha. Será que ela fez lambança debaixo da cama? Constatada a sua inocência, procuramos no banheiro... Nada! Os queijos que eu trouxera de Candeias; os ovos que comprei na feira, a geladeira, enfim, procuramos em todos os lugares da casa e nada de detectar de onde partia aquele cheiro horrível. Até que me deu na telha de cheirar uma fruta daquelas. Meu Deus! Que coisa mais fedorenta! Pensei, vamos jogar isso fora! E Carmelita gritou logo? --- Não!!!  Não!!! Eu vou tomar o suco. Esse deve ser o cheiro natural da fruta! ----- O quê? Cheiro natural da fruta?!  Você vai tomar o suco dessa carniça?

Ela não desistiu --- se é para perder peso sem fazer força, Carmelita é capaz de apenas tapar o nariz e comer uma coisa daquelas, tomou de algumas garrafas vazias, foi para a cozinha e disse que iria fazer suco e engarrafa-lo. Ai então é que a coisa fedeu direito. Eu pensei que o meu apartamento tinha se transformado num chiqueiro de porcos... Numa fossa aberta... Num depósito de queijo azedo e velho... Num jacá de ovo choco. O troço é tão fedorento que a gente fica perdido num universo de coisas podres. 

E nesse momento eu me lembrei do meu amigo Erasto de Barros, quando certa vez o banheiro da Escola Padre Américo foi entupido e estava difícil ser desentupido e ele disse alto e em bom som:

“Vai fedê lá nos quinto do inferno trem!”.

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos.