Total de visualizações de página

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

CHICO COLETOR


Prefeito Chico Coletor - Foto do arquivo da família
Os meios de comunicação vivem atualmente denunciando a imoralidade da classe política... Já não faltam adjetivos para desqualificar essa classe enodoada pela corrupção; pela falsidade ideológica; pela compra de votos, pela incompetência, pela ociosidade pela inoperância, pela falta de capacidade para administrar o dinheiro público.Enfim por tudo que lhes possa tirar a confiança então depositada através do voto popular.

A honestidade vai se tornando dia após dia, numa decência rara no meio político. O político ao se candidatar pensa em si... Poucos são aqueles que cumprem com louvor, com honestidade, com respeito o poder que recebem nas urnas. O povo, por mais humilde que seja, sabe distinguir o joio do trigo... Por mais inocente que seja, sabe votar e julgar aqueles que não cumpriram a missão de seus representantes, com a honradez necessária.

Felizmente entre os homens públicos que trabalharam na construção da história de Candeias, existem, em sua maioria, nomes dignos e honestos que tudo fizeram para honrar a confiança depositada pelo povo candeense.

Um desses nomes que saiu sem mácula do poder, com certeza, é do candeense por adoção, Francisco Coelho dos Santos. 
O Blog Candeias MG Casos e Acasos, neste texto estará focalizando o nome de Francisco Coelho dos Santos, popularmente conhecido, entre nós, por Chico Coletor. 

Francisco Coelho dos Santos foi prefeito de Candeias no período de 1973 a 1976. Nasceu na cidade de São João Del Rey no dia 21 de dezembro de 1921, sendo filho de Abner Coelho dos Santos e Alzira de Oliveira Coelho.

Chico tinha nove irmãos, são eles: João, Elvira, Abner Junior, Cecília, Juracy, Iracema, Zélia, Renato e Maria das Mercês. De sua terra natal foi transferido, juntamente com os seus pais, para a cidade de Formiga. Tornou-se funcionário da Receita Federal. E por ocasião dos problemas surgidos com um incêndio ocorrido na sede da Coletoria Federal, em Candeias, Francisco veio para apurar o caso e a partir daí juntou-se a nós na construção da nossa história.

Casou-se com a Sra. Zilda de Paiva Coelho, de cuja união nasceram três filhas: Maria Luíza, Tereza Cristina e Maristela. Como pai de família Chico Coletor era muito querido. Gostava de reunir com a família para saborear o seu prato predileto, um canelone ou um ravioli, caprichosamente preparado por sua esposa, Dona Zilda. Como prefeito, infelizmente, não chegou ao seu alcance tudo aquilo que almejava para Candeias, mas administrou bem os poucos recursos que lhe caíram às mãos. Entre os feitos na gestão de Chico Coletor está o Hospital Carlos Chagas, até então, tão prometido, mas nunca concluído.

Chico não mediu esforços na construção desta obra tão necessária para o povo de Candeias. Acompanhado de sua esposa, estava sempre em campanha em busca de recursos para atingir tal objetivo. Ele achava que as outras coisas poderiam esperar um pouco; mas, um hospital para Candeias era demasiadamente necessário. E tudo vez para atingir a esse objetivo.

Francisco Coelho dos Santos era um homem bom. Nunca esteve envolvido em fatos que pudesse manchar o seu nome. Portanto, foi sempre muito respeitado pelo povo candeense diante da sua lisura. Dentre o seu grande círculo de amizade em Candeias, citamos alguns dos quais Chico recebeu relevante colaboração: Afonso Ferreira de oliveira, Juquitinha, Marconi Paixão, Mariano Lamounier, Rosarinha do Quinho, Zé do Torquato, William Viglioni, Francisco Quintino, Rafael Martins, Joaquim de Castro (Lindico) Erasto de Barros e muitos outros.

Cumprido o seu mandato, Chico Coletor voltou para assumir o seu cargo na Receita federal. Após a sua aposentadoria recolheu-se em seu sítio localizado na comunidade da Boa Vista, no município de Candeias.

Francisco Coelho dos Santos faleceu no dia 27 de setembro de 2009, aos 87 anos num leito do Hospital Carlos Chagas, para o qual tanto trabalhou para vê-lo construído. Seu corpo está sepultado no Cemitério do Rosário na cidade de Formiga, no túmulo de seus pais. Nesta oportunidade não poderíamos deixar de registrar um voto de louvor para a sua esposa, Sra. Zilda de Paiva Coelho, pela companheira que foi junto ao seu marido, bem como, pelo dinamismo de primeira dama do nosso município.

Manifestamos, ainda, de forma extensiva às suas filhas, o nosso pesar pelo falecimento desse que foi, para o povo de Candeias, um exemplo de honestidade.


Muito obrigado Francisco Coelho dos Santos! Muito obrigado Chico Coletor!

Armando Melo de Castro
Blog Candeias MG Casos e Acasos.


5 comentários:

Anônimo disse...

Com certeza, essa pessoa tao ilustre, amada e bondoza, merece os mais prementes votos de paz e felicidade!
Ele nao foi so um pai,avô,amigo, ele foi um anjo que iluminou e fez traçar minha jornada com amor respeito, honestidade, e me deu muita força para enfrentar os obstaculos da vida.
Serei eternamente grato!
Muito obrigado por tudo Francisco Coelho dos Santos!
Deus estará sempre com você.
Amém.

Anônimo disse...

Com certeza, essa pessoa tao ilustre, amada e bondoza, merece os mais prementes votos de paz e felicidade!
Ele nao foi so um pai,avô,amigo, ele foi um anjo que iluminou e fez traçar minha jornada com amor respeito, honestidade, e me deu muita força para enfrentar os obstaculos da vida.
Serei eternamente grato!
Muito obrigado por tudo Francisco Coelho dos Santos!
Deus estará sempre com você.
Amém.

Anônimo disse...

Caro Armando,

Sem querer, deparei-me com o seu artigo " Chico Coletor". Tive o previlégio de ser um dos Coelhos e sobrinho do saudoso tio "Chiquinho". Fiquei muito feliz ao ler o artigo e principalmente da forma carinhosa que os Candeenses lembram da sua pessoa. Com certeza a saudade é grande e só mesmo o tempo para ajudar-nos a superar tão grande perda. Ao Amigo e a todos Candeenses o meu particular MUITO OBRIGADO! João Coelho - S.S. Paraíso-MG.

Anônimo disse...

Caro Armando. Sua matéria em torno de nosso "tio Chiquinho" como era por nos tratado, "descoberta" que fora por meu irmão João, abrira a porteira para todos nós seus sobrinhos viajarmos no tempo em que ele fora prefeito de candeias. Fizera nos relembrar essa pessoa maravilhosa que era o tio chiquinho, essa memória viva. Da fora que ele fora importante para voces, fora muito mais para nós, seus familiares. Obrigado tio chiquinho, que o senhor se encontre ao lado do criador do Universo, seja dai o nosso Prefeito, dite as regras a serem obedecidas. Seu sobrinho Mário Coelho Souza - S.S. do Paraíso - MG

Anônimo disse...

QUE Deus o tenha em seu reino e ele interceda por nós candeenses, porque ultimamente nossa querida Candeias vai de mau a pior nas mãos de pessoas incompetentes,que não retribui a altura dos candeense, nós não precisamos de migalhas nem esmola, fizeram uma porcaria de calçamento na Rua Domingos Fernandes Lima. Bairro Fernandes, ficando cheio de buracos. Será que se fosse na rua deles ficaria assim. Bando de desonestos, merecem ir pra rua.