Total de visualizações de página

segunda-feira, 5 de junho de 2017

O MEU AMIGO WANDER BONACCORSI.

                                                                   Wandinho e sua filha Lilian.
Depois que minha mãe transferiu sua residência para Poços de Caldas, eu tenho visitado pouco a nossa Candeias. Semana passada, contudo, eu lá estive levando minha mãe, para matar saudade. Afinal, quem ama a sua terra natal sai dela, mas ela não sai de quem a deixa.

Nessa rápida oportunidade passo como sempre passei à frente da casa do meu amigo Wander Bonaccorsi, o meu querido amigo desde a minha infância, para mim Wandinho do Américo. 

Eu ainda não havia ido à Candeias depois da morte desse meu grande amigo. E sentir a sua ausência foi para mim um triste momento. ----- Quantas e quantas vezes sendo a sua rua o meu caminho, eu passava e o via quando quase sempre nos deparávamos. 

Wandinho amava Candeias onde nasceu e viveu; ai fez a sua vida, ai criou a sua família com respeito e dignidade. Como político participou da administração de Candeias quando eleito Vice Prefeito do Prefeito Francisco Coelho. Empresário e fazendeiro bem sucedido e honesto nos seus negócios. Bom pai e bom filho e bom amigo.

Lembro-me de vê-lo presenteando o Sr. Américo Bonaccorsi, seu pai, que era músico, com um lindo saxofone num de seus aniversários.  A alegria que Wandinho causou ao seu pai com este presente, causou em mim a captação de um exemplo, quando eu, vinte e cinco anos mais tarde, quis imitar o gesto presenteando o meu pai com um pistão.

Wandinho! Grande amigo dos amigos entre os quais eu sempre estive. Amigo que só dava bons exemplos e quando se desenvolvia junto dele um diálogo, era sempre construtivo, mesmo porque era ele um homem vivido e experiente.

A última vez em que estivemos juntos foi à porta do posto de gasolina do João do Nestor, e ali conversamos sobre os mais diversos assuntos. Eu não imaginava que naquele momento acontecia a despedida definitiva de uma grande amizade.

Mas o que falar diante de uma perda irreparável de um amigo, nascido sob o mesmo céu, o mesmo sol, bebendo da mesma água; filhos da mesma terra, batizados na mesma pia batismal? ---- O que falar desse amigo sempre disponível com a sua palavra amiga, as suas ideias de homem inteligente, honrado e pai de família respeitado? O que falar?

Muito a falar teríamos sobre Wandinho Bonaccorsi. Todavia, o espaço aqui seria pouco. Assim eu coloco a sua imagem bem viva nas minhas lembranças para que entre pelo meu cérebro, desça ao meu coração e ali permaneça.

Mesmo sob as notícias de que Wandinho vinha com a saúde precária, eu jamais pude imagina-lo morto. Parece-me que era imortal; necessário demais e forte para não morrer; mas chegou a hora designada por Deus quando o levou aos 83 anos. Ai recebo a notícia de que havia partido e eu me senti muito triste. ----- Wandinho não está mais entre nós ---- ele partiu deixando o vazio da sua ausência numa Candeias mais pobre e mais triste.

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos.

Nenhum comentário: