Total de visualizações de página

quinta-feira, 21 de abril de 2016

O MEDO DOMINANDO A FÉ!


Eu sou um cristão e adoro o cristianismo. Sou católico apostólico Romano. E acho que o catolicismo é a religião mais tolerante que existe, porque ela se renova contrariando os desencontros bíblicos. Eu entendo ser um direito de cada um pensar o que bem entender. É um direito de cada um, ver o mundo com os seus próprios olhos. Deus criou um mundo para ser modificado, para progredir, para crescer e melhorar. Não acredito que o Velho testamento possa estar ajudando a humanidade, como muitos pregam.

O ser humano é livre para pensar conforme determinação de Deus. E o que expresso é o meu pensamento, com o qual ninguém precisa concordar, pois não é de minha intenção fazer aqui nenhum ato de proselitismo.

Eu acredito fielmente em Deus! Deus para mim é a razão de tudo. Uma forma simples de ver Deus é através da lei de causa e efeito, sabendo-se que não existe causa sem efeito e nem efeito sem causa.

Eu acredito em Deus quando olho para o sol e sei que jamais algum homem esteve próximo dele. Eu acredito em Deus quando olho para os céus e vejo o infinito. Eu acredito em Deus quando vejo uma rosa protegida por um espinho. Mas não consigo entender esse caráter venerável dado à Bíblia.

Suponho que uma pessoa que durante toda a sua vida, assim como eu, vem lendo às passagens bíblicas para se orientar no seu dia a dia. Contudo, duvido que tenha tirado de todo um proveito integral de ensinamentos sagrados no Velho Testamento. Para mim essas pessoas, a bem da verdade, têm medo de contrapor parte dos ensinamentos bíblicos e preferem deixar que a falsa fé, lhes roube a liberdade de pensamento.

E difícil eu acreditar nessa lenda da barca de Noé. No paraíso de Adão onde um filho mata o outro; e mais uma centena de coisas inacreditáveis. A não ser que a teologia explica isso de forma convincente, enfim não sou teólogo.

Portanto, a Bíblia, para mim, é uma pequena biblioteca onde eu escolho o livro que quero e me faço desconhecer os demais e explico porque penso assim:

Para começar existem bíblias com 66 e 73 livros.  Por exemplo, a Bíblia católica, conta 73 livros sendo 46 do antigo testamento e 27 do novo.  Já a protestante, conta 66 livros, sendo 39 do antigo e 27 do novo.

Ora, ai está o primeiro desencontro da Bíblia, onde existe uma discordância humana, quando os protestantes não aceitam por uma questão de canonicidade, que ninguém sabe explicar isso direito, levando a crer tratar-se, naturalmente, mais de uma questão politica, devida as versões apresentadas.

De outra forma, o velho testamento chega ser uma aberração. Um verdadeiro elenco de ilogismos absurdos para o mundo atual.

O Pentateuco, (Os cinco primeiros Livros), por exemplo, está repleto de verdadeiros delírios que vão de encontro com a ciência e a lógica. Leis bizarras. Passagens estúpidas e criminosas.

Eu como cristão acredito que a palavra de Deus está no Novo testamento no qual acredito, apesar de encontrar nele, também, certas incoerências. Mas a palavra de Jesus Cristo e os atos apostólicos são para mim inquestionáveis e incontestáveis. Motivo pelo qual escolho a parte mais jovem da Bíblia porque ela não é incoerente e me permite seguir o progresso que Deus deu ao homem para ser desenvolvido. 

A associação entre Velho e Novo Testamentos não me convence à vista da inspiração que Deus me dá para acreditar Nele. São tantos os exageros que o meu bom senso deixa de ser bom, apesar de entender que existem bons trechos, contudo, a meu juízo, não superam o que é de pior.

A fé a meu ver deve ser raciocinada e não levada a efeito do medo e de um Deus que castiga. Deus não castiga ninguém. Deus é bom, é puro, é perfeito e nos dá o livre arbítrio. Eu gosto de ser católico pela tolerância dos católicos com o mundo moderno, modernismo dado por Deus. Para mim não terá privilégios com Deus aquele que segue os costumes bíblicos ultrapassados.

 No mundo moderno eu posso rir de um careca sem que para isso corra o risco de ser morto pela maldição de Elizeu (Reis 2:23, 24) 
 Minha mulher e minha filha pode usar calças compridas sem ser abominável. (Deuteronômio 22.5) 
O crime repugnante tem condenação e a opinião pública. (Juízes 19:22, 30) 

Hediondo seriam os crimes de Davi, que lança sobre a história bíblica todos os pecados da honra e de sangue. (2 Samuel 11) ----- e mais um número incontável de bizarrices, crimes, maldades, roubos, estupros, e delírios. 

Portanto, a meu ver, chamar a Bíblia num todo de “Sagrada”, é uma incoerência; é deixar o medo dominar a sua fé. E a fé dominada pelo medo não é fé pura, não é  fé sagrada.

Que me desculpem às opiniões contrárias.

Armando Melo de Castro

Candeias MG Casos e Acasos.

Nenhum comentário: