Total de visualizações de página

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

MEMÓRIA DE CANDEIAS.


Candeias no passado possuiu dois bons hotéis, o Candeense Hotel do Sr. Américo Bonaccorsi e o Novo Hotel da Senhora Geny Resende, posteriormente do casal Manoel Alves e da Senhora Vilça Freire. Nenhum dos dois hotéis não existe mais. Estão apenas nas lembranças das pessoas mais velhas como eu.

O Candeense Hotel hospedou no seu tempo, praticamente todos os viajantes que passaram por Candeias. E muitos deles faziam em Candeias o chamado “Pião”, hospedado ali enquanto fazia a praça da redondeza. O ambiente do hotel era convidativo para os viajantes vendedores, daquele tempo, que permaneciam até 30 dias fora de casa vendendo de cidade em cidade. Não existiam essas facilidades de hoje como, transporte, telefone, internet etc. O meio de transporte era limitado a uma jardineira de 25 passageiros que fazia a linha de Formiga a Campo Belo, via Candeias. Caminhões quase não existiam. No mais tudo que entrava e saia na cidade era por intermédio da ferrovia, antes Rede Mineira de Viação e depois Rede Ferroviária Federal.
 Os vendedores trançavam uns pelos outros nas ruas vendendo aos comerciantes e ao povo residente.

O Novo Hotel, ficou sendo assim chamado após ser adquirido pela Sra. Geni do seu antigo dono, Sr.Bitu. E atendia mais aos hospedes da zona rural e famílias. Os dois hotéis serviam refeições. O Candeense Hotel ficou sendo muito conhecido por todos os viajantes que passavam por Candeias, pela panelada de galinha que era servida aos viajantes que comiam o quanto queriam. Os hotéis, como tinham restaurantes atendiam, também, não hospedes em refeições.

Existia, também, a Pensão da Vivi, que ficava situada numa velha casa onde hoje está situada a Loja do Leonardo de Sousa. Posteriormente, a pensão, acabou e a Sra. Vivi abriu um restaurante.


O Restaurante mais conhecido e que durou muitos e muitos anos foi o Restaurante Pinguim, do Lulu. Posteriormente mudou o nome para Restaurante Bifão, até encerrar as suas atividades, quando o Lulu aposentou-se. No local hoje, funciona o Restaurante da Cidinha.

Armando Melo de Castro.
Candeias MG Casos e Acasos

2 comentários:

Celle disse...

EMBORA, NÃO SEJA DE CANDEIAS GOSTO DE LER AS CRÔNICAS DO SR. ARMANDO DE MELO CONTANDO OS CASOS DA SUA QUERIDA CIDADE. TAMBÉM APRECIO SEU MODO DE ESCREVER DIRETO E SIMPLES, TIVEMOS NA NOSSA CIDADE, SETE LAGOAS MG, A PRINCESINHA DO SERTÃO, O SR. JOVELINO LANZA UM ESCRITOR E JORNALISTA SEMELHANTE AO ARMANDO QUE CONTAVA OS CAUSOS DA NOSSA CIDADE E FINALIZAVA DIZENDO:O QUE PASSOU, NÃO PASSOU - FICOU.UM DOS GRANDES MOTIVOS DE VISITAR SEMPRE ESTAS PÁGINAS!
BOA NOITE

Celle disse...

EMBORA, NÃO SENDO DE CANDEIAS, ADORO LER AS CRÔNICAS DESTA CIDADE POIS, ME FAZEM LEMBRAR AS HISTÓRIAS SEMELHANTES DA NOSSA SETE LAGOAS, MG
ASSIM COMO O SR. JOVELINO LANZA CONTOU "CAUSOS" INTERESSANTES DA ENTRADA DO SERTÃO MINEIRO.DIZIA EM SEUS CONTOS AO FINALIZAR O QUE PASSOU, NÃO PASSOU - FICOU!