Total de visualizações de página

quarta-feira, 13 de junho de 2012

GAY OU BICHONA?

                                                              Foto para ilustração do texto.
 Eu não tenho nada contra o homossexualismo e acho que um movimento social, seja ele qual for, tem a sua validade. A opção sexual de alguém deve ser livre. Ser indulgente com uma anomalia cromossômica é uma coisa. Agora, o que é difícil de aturar são as “bichonices” e a frescura extrema que levam ao exagero no comportamento dos adeptos a esse movimento, retratando uma perversão moral que bate de frente com os princípios da sociedade civil e religiosa.


A pessoa pode ser homossexual sem ter que aderir ao jeito e trejeito do sexo oposto. Sem desfilar desfilar pelas ruas, como se estas fossem a central de um bacanal. Quer ser homossexual que seja, todavia, não queira impor a sua vontade ou a sua maneira de ser. Daqui a pouco, vamos ver a parada do orgulho da prostituição. E se temos uma sociedade, mesmo que hipócrita, ela não deve ser transformada dessa forma contraditória. Ser gay é um direito. Contudo, que o seja com respeito aos olhos daqueles que não o são e não querem ser. Que lutem pelo seu espaço de forma mais digna. 

Essa Parada Gay é um verdadeiro atentado ao pudor, tanto quanto a televisão com suas novelas. Hoje, toda novela tem que ter um quadro mostrando esse tipo de comportamento aos olhos de grande parte das pessoas. Entretanto, a televisão pode ser evitada. Se o rifão diz que os incomodados que se afastem, é muito fácil: basta mudar de canal ou desligar a televisão. Mas, o que fazer quando dois homens ou duas mulheres se beijam e se esfregam em via pública, aos olhos de todos? Esta atitude exacerbada extrapola os bons costumes e princípios da moral para qualquer cidadão, inclusive, obviamente, para os heterossexuais. Ainda que hipócrita, não há que ser negado o fato de que temos uma sociedade oriunda da cultura natural contraída durante séculos.

A Bíblia Sagrada diverge do homossexualismo, em seus diversos livros, tanto no Velho como no Novo Testamento. Em apenas dois exemplos, podemos citar o Pentateuco, no Velho Testamento, no livro Levítico 20.13:

“Com homem não te deitarás como se fosse mulher; é abominação” e “Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles.”·.

Já, no Novo Testamento, o Apóstolo Paulo, na carta I aos Coríntios 6.9,10,disse:

“Acaso não sabeis que os iníquos  não hão de possuir o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os crapulosos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os ladrões, nem os depravados hão de possuir o reino de Deus!”

Eu fico, às vezes, por entender é quando vejo alguém, adepto de uma igreja evangélica, testemunhar que era gay e teria deixado de ser após a sua adesão ao conceito evangélico. Aí, então, as divergências da ciência me fazem pensar duas vezes se o homossexualismo é doença ou pouca vergonha.

Há alguns dias, eu estava assentado em um banco da praça central, nas imediações da fonte luminosa, enquanto batia um papo com o meu amigo, Zé Pretinho. Logo depois, o Zé saiu e eu fiquei, por ali, apreciando os passarinhos, quando esses se acomodavam nos galhos das árvores.

Bem próximo de mim, havia outro banco ao qual chegou um jovem alto, moreno, cabelo tipo caixa de arapuá. Assentou-se, descalçou um pé do seu tênis, tornou a calçá-lo, quando o seu celular toca no seu bolso e ele atendeu todo feliz da vida:

---Oi, amor! Aiiiiiiiiiii! Nossa que saudade, amorrrrrrrrr! Nossa tem quatro dias que você não me liga! Já estava desesperado, amor! O que houve?

A voz do outro lado levou um pouco de tempo contando alguma coisa. Daí, o papo continuou:

---Nossa, meu bem! Que alegria saber disso! Você não sabe o quanto eu fico feliz por você, amor! Olha! Nesta semana, eu vou estar aqui, em Candeias, mas, na semana que vem, eu estarei aí. Não vá morrer de saudade de mim, ouviu? Não vejo a hora de ir embora. Não estou suportando, isso aqui! Amor, aqui não tem naaaaaaaaaaada!

E a fruta do interlocutor continuava:

---Amor, você fez a barba ou ainda está barbudo? Fez? Aí que lindo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

E assim, como essa fruta não faz parte do meu cardápio, fui saindo pensativo, sem escutar o resto do papo.

Armando Melo de Castro
Candeias MG Casos e Acasos



11 comentários:

Celle disse...

Olá Armando, penso igualzinho a você!
As novelas e programas humorísticos das TVs estão enfiando "guela-abaixo" dos telespectadores a falsa normalidade dos gays,suas atitudes e condutas homossexuais. Acredito nos discretos e educados mas,a turma dos espetáculos é desmoralização baixaria e devassidão!
Parabens pelo artigo.
celle

Anônimo disse...

Estou pasmo com o tamanho da sua ignorância. Por favor, se você não tem nada contra homossexuais, então pare de falar termos como "bichonisses". Eu tenho amigos homossexuais, amigos que são pessoas maravilhosas, que tem famílias, sentimentos.

Estou decepcionado de ler isso:

"Sem ter que desfilar pelas ruas, como se estas fossem a central de um bacanal. Quer ser homossexual que seja, todavia, não queira impor a sua vontade ou a sua maneira de ser. "

Caso você não saiba, a parada gay não é pras pessoas entrarem ali e falarem "Oi, sou gay, você tem que saber." é um movimento feito para falar que as pessoas tem orgulho de sua sexualidade, que uma grande parte da sociedade reprime, e que eles também devem ter os mesmos direitos que um heterossexual tem. Se não sabe o que está escrevendo, fique calado, que você fica melhor.

"Ser gay é um direito. Contudo, que o seja com respeito aos olhos daqueles que não o são e não querem ser. "

Então você não é homofóbico, mas não quer ver dois homens se beijando? Por favor né, sem essa. Eu não sou homofóbico, e deixo meus amigos gays, lésbicas se beijarem na minha frente. É uma troca de carinho comum como qualquer outra.

"Essa Parada Gay é um verdadeiro atentado ao pudor, tanto quanto a televisão com suas novelas."

Deixa eu te falar uma coisa querido, se dois homossexuais se amarem de verdade, eles não podem ficar juntos? Então quer dizer que héteros podem sair por aí ficando com uma pessoa em cada esquina, engravidando uma mulher em cada lugar... caso não saiba, existem héteros assim. Eu acho que homossexuais não fazem atentado ao pudor, são pessoas que tem amor, que tem sentimentos, eles não são diferentes. Eu valorizo o amor verdadeiro. Se esse amor estiver num casal de gays, então essa pessoa não está errada.

"Aí, então, as divergências da ciência me fazem pensar duas vezes se o homossexualismo é doença ou pouca vergonha."

Sabe o que eu penso? Que a sua mente é vergonhosa. Isso sim. Uma pessoa falar "não tenho nada contra gays" e falar que homossexualismo pode ser uma pouca vergonha, nossa, isso faz só eu sentir vergonha de ler esse artigo no seu blog. O homossexual nasce assim, eu já ouvi testemunhos até de amigos, que me disseram já que desde criança nunca gostaram de mulher. Falta de vergonha é uma pessoa ser desonesta, ser uma pessoa que não cumpre seus deveres na sociedade. Amar não é pouca vergonha não.

Eu sei te dizer que eu te via na rua e não tinha opinião nenhuma sobre você... não tinha mesmo. Afinal, eu não te conhecia. Depois de ler esse artigo, e ver essas coisas que você escreveu, eu prefiro mesmo nem tirar meu tempo pra pensar sobre sua pessoa... eu ignoro pessoas que tem atitudes assim.

Anônimo disse...

É um direito escolher a opinião sexual. Se é um direito, então este é livre para "namorar" em locais públicos desde que respeitem a "liberdade" dos outros, porém, isso não é uma exclusividade dos homossexuais, pois vemos heteros se "agarrando", transando, urinando, usando drogas, entre outras coisas. A questão do respeito deve ser exercida por toda sociedade, e não apenas pela opção sexual, é um direito e dever de todos respeitar o outro. Quanto fazer uso de crenças religiosas para impor algo, lembrar-te-ei que esse é um país laico, assim como você é respeitado, tem o dever de respeitar. Se sente-se ofendido pelo uso de vestimentas ou fonêmas usados por esses de opinião sexual contrária a sua, afaste-se dos mesmos ou peça para que o respeitem, o mesmo acontece com qualquer tipo de pessoa, seja ela um rockeiro, rapper, evangélico, etc. Lembremos que para haver respeito é preciso investir em educação e diálogo aberto, não com críticas destrutivas e comentários ofensivos para com aquele grupo ou classe social que não estão de acordo com o nosso modo de interpretar o certo ou errado em uma sociedade.

PS: Não sou homossexual, muito menos a favor do desrespeito, porém como você expressou sua opinião temos o direito de fazer o mesmo, seja ela de sentido contrário ou não, já que você usa como nome do Blog o nome da cidade de Candeias!

Felipe Mendonça Andrade

Alice Sodre disse...

olha , você se diz nao ter preconceitos contra homossexuais e usa tais termos como bichona e fruta contra os que tem opçao diferente da sua?olha numa boa acho q pessoas que se propoem em escrever algo em meio publico devem se conter ao expor suas ideias coisas que você disse ate faz sentido mais a forma a que você se refere aos homossexuais e um tanto grotesca, repense suas conceitos e nunca use Deus para justificar seus meios, porque se você cre nele para justificar pense que ele disse para você amar a todos, e acho q respeito cabe a todos e a qualquer assunto. Eu como estudante de psicologia so posso demostrar minha surpressa ao ler um artigo que vincula com total desrespeito a adiversidade sexual cara se liga, seus conceitos estão um tanto quando passados e aprenda preconceito se caso vc tiver guarde-o pra você.

Pedro Saldanha disse...

Realmente muitos homossexuais meio que "sujam" a imagem dos outros, mas esses que você cita são minoria. Lembremos que antes do deus abraâmico ser cultuado, o homossexualismo era aceitável na sociedade antiga e nem por isso todos eram homossexuais. Citar a bíblia como argumento soa como ignorância, se você for levar em conta essas passagens, sugiro que também leve aquelas que citam que você deve matar seu filho (Salmos 137:9) ou quem sabe vender sua filha como escrava (Êxodo 21:7) ou você leva em conta tudo ou não leva nada, é uma questão de ser racional.
Entendo que as pessoas de idades mais avançadas não conseguem aceitar a sociedade atual da maneira como ela é, mas a evolução da humanidade é isso: aceitar todas as diferenças, sejam elas quais forem. Se você se sentiu incomodado com a conversa que uma pessoa estava tendo em um lugar público por celular (conversa essa que não teve nada de mais, que eu saiba ele não estava ofendendo ninguém) você deveria se retirar e ir pra um lugar mais ameno, se o lugar é público, é direito de todos estar naquele lugar. Felizmente o mundo desenvolvido caminha para a secularização total, no futuro quem sabe o Brasil siga o mesmo caminho, certamente no futuro não haverá pessoas com essa mentalidade milenar.

Carlos Augusto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Estou de queixo caído diante do que li nesse texto. Texto esse que não passa de um texto homofóbico de uma pessoa que se quer tem a capacidade de aceitar a diversidade sexual das pessoas.
Sou Heterossexual, mas considerei uma falta de respeito e escrúpulos, algumas palavras citadas no mesmo. Primeiramente queria dizer em resposta ao Armando Melo, Senhor de idade avançada que se acha o dono da verdade,que Homosexualidade é a palavra certa a se usar, Homosexualismo final "ismo" tem como significado doença, o que quer dizer que essa palavra está totalmente fora de cogitação,já que homosexualidade já foi deixado de ser considerada doença a muito tempo, tendo como certeza muitos estudos realizados. Em resposta ao lado religioso, meu caro, não fale por Jesus, que nos ama com amor incondicional, independentemente de quaisquer condição e aceita a qualquer um de braços aberto; citando um trecho da bíblia:"DEUS NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS. “Porque para com Deus, não há acepção de pessoas” (Rm. 2:11)" portanto, muito cuidado ao julgar pois um dia você será julgado. É realmente lamentável essa situação,mas considero normal pessoas de tempos mais antigos como você e outros de sua idade, não aceitarem que Graças a Deus hoje os tempos são outros. A propósito quero ressaltar suas palavras sínicas usadas no texto com profunda intenção de ofender os homosexuais, coisa que você não conseguirá, pelo fato de que com certeza já sofreram perseguições bem piores do que essa que você está fazendo. Então considero cada homosexual um vencedor. Que luta a cada dia por seus direitos, para serem tratados como ser humanos normais, pois são isso que são e sempre serão. E termino como um pequeno texto que li e que sirva para você e pra todos que irão ler esse texto homofóbico e ofensivo: "Os homofóbicos necessitam se converter à aceitação da diversidade. A homossexualidade não diminui a personalidade e a capacidade de ninguém." Minha resposta não é nem a metade do que tenho vontade de dizer sobre esse texto,porém prefiro me conter e dizer o que é mais fundamental. E espero que meu texto seja publicado pelo moderador, pois todo texto aqui publicado, principalmente este, exige direto de resposta. Abraço a todos.

Anônimo disse...

Tenho certeza que vc é um gayzãao, que não tem coragem de se assumir e fica atacando todo mundo. Vaai dar a bunda e ser feliz. Seu ridiculo

Roberto de Assis Pereira disse...

Roberto disse...
Sem dúvida alguma, este tema é, extremamente, polêmico! Tanto as calorosas discussões, no plano teórico, envolvendo leis e atos normativos que regem o comportamento dos indivíduos na sociedade como a ocorrência, no dia a dia, de situações, acontecimentos e fatos que afloram as diversidades são provas irrefutáveis dessa polêmica.
Nesse contexto, é de se ressaltar, a coragem do autor em expor sua forma de pensar. Digo isso, porque, nos dias atuais, estamos vivenciando, ao se propor o fim do preconceito, nesta questão, um exagero extremado em que tudo passou a ser homofóbico. O Sr. Carlos Augusto mencionar que estão denunciando o blog do Sr. Armando Melo porque expõe suas ideias! Espera aí, né! Se o que pensa a respeito, sobre o homossexualismo*, contrapõe-se ao que pensa alguns, sejam homossexuais ou não, discorde-se, simplesmente. Ser atacado de ignorante porque pensa diferente? Isso sim é o preconceito se contrapondo à liberdade de expressão. Este país, até onde sei, possui uma Constituição Federal que, dentre vários direitos, se encontra a liberdade de manifestação do pensamento, seja ele qual for (Art. 5º, inciso IV da CF).
O que é vedado é o anonimato como várias pessoas fizeram ao comentar este artigo. Por que não ter a coragem em dar a autoria ao que disseram? Muitos se disseram hetero e se esconderam no anonimato. Por quê? Eu falo abertamente: sou gay. Vivi meus problemas com o preconceito dentro de casa, no trabalho? Com toda a certeza, não fui diferente a ninguém. Mas, sempre soube exigir respeito porque sempre me comportei com respeito. A cegueira da militância cega está levando à banalização deste termo HOMOFOBIA. Homofóbico é aquele que deixa de dar um emprego a uma pessoa, cheia de qualidades, por ser homossexual ou impede que um filho seja amigo de uma pessoa que tenha uma opção sexual diferente.
No meu modo de pensar e devo ser respeitado por isso, pois é meu direito, não concordo com algumas posições mencionadas pelo autor, principalmente, quando menciona texto bíblico. Para mim é balela, bobagem.
Agora, falou muita verdade. O trejeito é, obviamente, desnecessário. É banalizante. Muitas pessoas com opção homossexual são sérias, agora, outras tantas e tantas são extremamente promíscuas e querem porque querem impor esta posição a todo custo dentro da sociedade, sem respeitar quem não concorda! A promiscuidade deve ser combatida, seja homo ou heterossexual, e isto para mim ficou demasiadamente claro neste texto. Vamos todos a uma chamada “boite gay” e façamos uma análise do que vem acontecendo, nos dias de hoje. O próprio termo pejorativo é dado será porque e devido ao comportamento de quem? Devemos entender que o mundo não é gay. Então, meus amigos, não façamos como os negros (afrodescendentes) que praticamente pedem esmolas com esta bestial cota de alunos em universidades. Não sejamos hipócritas a ponto de distorcemos a realidade desta sociedade que jamais deixará de ser, igualmente, hipócrita. Que consigamos, com o comportamento sério, com o respeito e a objetiva discussão de ideias, conquistar o nosso espaço e não fazendo impor com a inversão dos valores esta questão nas cabeças das pessoas que têm o direito em discordar.
• no Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, o sufixo -ismo, de origem grega, produz nomes que veiculam um conjunto variado de sentidos, desde movimentos políticos ou religiosos a meios profissionais, como o automobilismo. A este sufixo associam-se, por vezes em cascata, dois outros: -ista, para criar nomes, como automobilista; -ico, para, a partir do nome, formar adje(c)tivos, como automobilístico, portanto, nada a ver com o conceito ESPECÍFICO de DOENÇA

Roberto de Assis Pereira disse...

Roberto disse...
Sem dúvida alguma, este tema é, extremamente, polêmico! Tanto as calorosas discussões, no plano teórico, envolvendo leis e atos normativos que regem o comportamento dos indivíduos na sociedade como a ocorrência, no dia a dia, de situações, acontecimentos e fatos que afloram as diversidades são provas irrefutáveis dessa polêmica.
Nesse contexto, é de se ressaltar, a coragem do autor em expor sua forma de pensar. Digo isso, porque, nos dias atuais, estamos vivenciando, ao se propor o fim do preconceito, nesta questão, um exagero extremado em que tudo passou a ser homofóbico. O Sr. Carlos Augusto mencionar que estão denunciando o blog do Sr. Armando Melo porque expõe suas ideias! Espera aí, né! Se o que pensa a respeito, sobre o homossexualismo*, contrapõe-se ao que pensa alguns, sejam homossexuais ou não, discorde-se, simplesmente. Ser atacado de ignorante porque pensa diferente? Isso sim é o preconceito se contrapondo à liberdade de expressão. Este país, até onde sei, possui uma Constituição Federal que, dentre vários direitos, se encontra a liberdade de manifestação do pensamento, seja ele qual for (Art. 5º, inciso IV da CF).
O que é vedado é o anonimato como várias pessoas fizeram ao comentar este artigo. Por que não ter a coragem em dar a autoria ao que disseram? Muitos se disseram hetero e se esconderam no anonimato. Por quê? Eu falo abertamente: sou gay. Vivi meus problemas com o preconceito dentro de casa, no trabalho? Com toda a certeza, não fui diferente a ninguém. Mas, sempre soube exigir respeito porque sempre me comportei com respeito. A cegueira da militância cega está levando à banalização deste termo HOMOFOBIA. Homofóbico é aquele que deixa de dar um emprego a uma pessoa, cheia de qualidades, por ser homossexual ou impede que um filho seja amigo de uma pessoa que tenha uma opção sexual diferente.
No meu modo de pensar e devo ser respeitado por isso, pois é meu direito, não concordo com algumas posições mencionadas pelo autor, principalmente, quando menciona texto bíblico. Para mim é balela, bobagem.
Agora, falou muita verdade. O trejeito é, obviamente, desnecessário. É banalizante. Muitas pessoas com opção homossexual são sérias, agora, outras tantas e tantas são extremamente promíscuas e querem porque querem impor esta posição a todo custo dentro da sociedade, sem respeitar quem não concorda! A promiscuidade deve ser combatida, seja homo ou heterossexual, e isto para mim ficou demasiadamente claro neste texto. Vamos todos a uma chamada “boite gay” e façamos uma análise do que vem acontecendo, nos dias de hoje. O próprio termo pejorativo é dado será porque e devido ao comportamento de quem? Devemos entender que o mundo não é gay. Então, meus amigos, não façamos como os negros (afrodescendentes) que praticamente pedem esmolas com esta bestial cota de alunos em universidades. Não sejamos hipócritas a ponto de distorcemos a realidade desta sociedade que jamais deixará de ser, igualmente, hipócrita. Que consigamos, com o comportamento sério, com o respeito e a objetiva discussão de ideias, conquistar o nosso espaço e não fazendo impor com a inversão dos valores esta questão nas cabeças das pessoas que têm o direito em discordar.
• no Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, o sufixo -ismo, de origem grega, produz nomes que veiculam um conjunto variado de sentidos, desde movimentos políticos ou religiosos a meios profissionais, como o automobilismo. A este sufixo associam-se, por vezes em cascata, dois outros: -ista, para criar nomes, como automobilista; -ico, para, a partir do nome, formar adje(c)tivos, como automobilístico, portanto, nada a ver com o conceito ESPECÍFICO de DOENÇA

Franz S Borges disse...

Por mais que muitos não gostem o Armando está exercendo um direito constitucional, expressar sua opinião. Quem não gosta basta não ler, simples. Ou haverá de prevalecer a opinião de alguns contra outros? Neste blog vimos o exercício do direito de opinião onde um expressa seu entendimento quanto a comportamentos que ele acha estranho e outros emitem pareceres contrários. Fazer disso um cavalo de batalha vai levar o país ao caos social. A sexualidade pode ser exercida em sua plenitude dentro de quatro paredes, em praça pública mexe com a formação de crianças ainda em desenvolvimento, por mais que psicólogos modernosos digam o contrário.